sábado, 18 de dezembro de 2010

The last post of 2010

Hey galera! O ano está acabando. Posso dizer que esse foi o ano que eu mais sofri, mais ri, mais fiz amigos e o que mais passou depressa. Esse blog foi feito em Janeiro/2010! õ/

O ano de 2011 já está batendo à porta e planos estão sendo feitos.
O que eu quero dizer pra vocês que ainda insistem em ler isso aqui, é que todos os seus planos sejam um SIM para os planos de Deus. Que tudo o que vocês pensem em fazer no próximo ano seja o que Deus pensou. Pra descobrir isso é fácil. Só ouvi-lo. Ler Sua palavra. Estar atentos a voz dos seus santos. E fazer. Simplesmente obedecer.


NUNCA se esqueçam: DEUS sempre sabe o que é melhor pra nós!


Um beijo santo! Que a passagem de ano seja maravilhosa pra vocês! Muitas bençãos e obrigada por ter me acompanhado aqui. Ano que vem tem mais.



#GodblessUall

sábado, 11 de dezembro de 2010

Já que não foi pro JdH...

vem pra cá! Seja edificado!




O Deus cotidiano





Confesso que fiquei pensando: “Como eu vou escrever algo sobre o cotidiano do jovem e adolescente? O que Deus quer falar para nós jovens* hoje?” Então fui ao dicionário buscar a definição dessa palavra: cotidiano. “De todos os dias”. Essa foi a resposta. Nós jovens fazemos várias coisas todos os dias. Algumas se repetem como ir pra escola, pra faculdade, pro estágio, pro trabalho, e porque não, à Deus?

A Bíblia diz em Tiago 4.8-10: “Cheguem perto de Deus, e Ele chegará perto de vocês. Lavem as mãos, pecadores! Limpem o coração, hipócritas! Fiquem tristes, gritem e chorem. Mudem as suas risadas em choro e a sua alegria em tristeza. Humilhem-se diante do Senhor, e Ele os colocará numa posição de honra.” (NTLH)

O que Tiago, inspiradíssimo por Deus, quer dizer é que nós precisamos reconhecer todos os dias que nós somos pecadores e que temos que ir à Deus para que Ele limpe as nossas mãos que as vezes é instrumento do pecado; que nós somos hipócritas e que precisamos limpar o nosso coração; que temos um ânimo dobre que se acomoda ao mundo e perde o senso da gravidade do pecado, como bem definiu SHEDD** e que precisamos ser tristes, chorões, ao perceber quantas mancadas nós damos num só dia!
A humilhação gerada pelo arrependimento precisa ser diária. Não buscando uma posição de honra, mas buscando a honra de ser perdoado pela maior e melhor pessoa, ser, Espírito, que já existiu, que existe e que sempre vai existir! Por isso, devemos buscar fazer com que a nossa vontade de se achegar a Deus nasça a cada dia, só para ter o prazer de se encontrar com o Deus que está aqui por nós todos os dias.





#GodblessUall




* Quando eu digo jovens eu incluo os adolescentes também ok?
** Editor Russell P. Shedd, o que fez as concordâncias da Bíblia Shedd.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Salmo 24

1 Salmo de Davi. Ao SENHOR Deus pertencem o mundo e tudo o que nele existe; a terra e todos os seres vivos que nela vivem são dele.
2 O SENHOR construiu a terra sobre os mares e pôs os seus alicerces nas profundezas do oceano.
3 Quem tem o direito de subir o monte do SENHOR? Quem pode ficar no seu santo Templo?
4 Somente aquele que é correto no agir e limpo no pensar, que não adora ídolos, nem faz promessas falsas.
5 O SENHOR Deus o abençoará, o salvará e o declarará inocente no julgamento.
6 São assim as pessoas que adoram o SENHOR, que prestam culto ao Deus de Jacó.
7 Abram bem os portões, abram os portões antigos, e entrará o Rei da glória.
 8 Quem é esse Rei da glória? É Deus, o SENHOR, forte e poderoso, o SENHOR, poderoso na batalha.
9 Abram bem os portões, abram os portões antigos, e entrará o Rei da glória.
10 Quem é esse Rei da glória? É Deus, o SENHOR Todo-Poderoso; ele é o Rei da glória.






Quando eu me reporto aos últimos versículos desse salmo, não há nada do que uma mera ilustração que me vem a mente.

Jesus, o Filho de Deus, O que escolheu pagar o preço necessário pra que nós pudéssemos ser filhos juntamente com Ele, venceu a morte. Desceu ao Hades (Inferno), enquanto a festa pós morte Dele estava bombando, eis que Ele surge e toma a chave do inferno das mãos de Satanás. Mostra que a Morte não foi suficiente para detê-Lo. De repente, o inferno está embasbacado com a vitória do Cordeiro e Leão. 
Depois, Jesus sobe aos céus. Eu O imagino caminhando entre as nuvens, chegando no portão. Um anjo o vê, corre para avisar aos outros, o Príncipe da Paz conseguiu!
"Levantai ó portas as vossas cabeças! Levantai-vos ó portais eternos! Que entrará o Rei da glória, Jesus!"
Os portões celestiais se abrem para Ele. E todos os habitantes dos céus O aplaudam, reverenciando a Sua vitória. O Pai o vê. Um abraço sela a aliança final. O Rei da glória toma o Seu lugar à direita do Pai. Está consumado. Os portões estão abertos. Não há nada mais que me impeça, que te impeça de entrar. Mas quem tem o direito de subir o monte do SENHOR? Quem pode ficar no seu santo Templo? Somente aquele que é correto no agir e limpo no pensar, que não adora ídolos, nem faz promessas falsas. O SENHOR Deus o abençoará, o salvará e o declarará inocente no julgamento. E elas  serão bem vindas a casa do Pai.




Beijo santo.




#GodblessUall

sábado, 20 de novembro de 2010

B' day.

"Santificação é decisão. E hoje eu decido:

não reclamar de acordar as 5h da manhã;
não xingar as pessoas no metrô cheio;
não xingar os professores pelo atraso deles;
não reclamar da prova que eu não estudei;
não reclamar do preço do empadão;
não sentar ao lado dos amigos coladores;
não olhar a prova do colega cdf;
não xingar o professor pela prova difícil;
não faltar o culto jovem;
não me distrair na hora da mensagem;
não achar que a pregação era pra mim;
não deixar de me aproximar de Deus.

Hoje, eu só quero pedir perdão por não ter conseguido cumprir metade das minhas decisões."





Isso é santificação. É tentar a cada dia fazer aquilo que foi sonhado pra você fazer mas que não necessariamente é o mais fácil de se fazer.










#GodblessUall



quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Music Session..

Oi gente! Beleza? Bom, hoje gostaria de compartilhar com vocês uma das músicas mais lindas que eu já ouvi. Só tem o áudio no Youtube, então preferi não postar  o link aqui. Mas fiquem a vontade para se edificarem com ela. 




O nome Jesus

Intérpretes: Paulo César Baruk e Leonardo Gonçalves



Nome tão lindo

Nome de Cristo

Nome que acalma o mar

Faz a tempestade cessar

Nome sublime

Nome de glória

Nome que restaura a alma

Dá forças para caminhar







Teu nom Jesus

É mais doce que o mel

Tem poder e glória

Teu nome Jesus

Leva o pecador ao Céu

Traz vitória

Em Teu nome

Os feridos são curados

Teu nome Jesus

Tem poder pra mudar minha história








Que esse Jesus possa continuar mudando a minha história e a sua.


Beijo santo!


#GodblessUall

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Sweet Jesus?

Hey! Como estão? Demorei mas estou aqui postando.. é o seguinte, deve estar até chato eu sempre postando textos dos outros, mas é porque eles são realmente bons e de suma importância pra mim, então gostaria de compartilhar mais um com vocês. E um videozinho no final. Seja edificado!



A marginalidade de Jesus


Por Roberta Lima do Genizah


"Muito se fala da santidade, genialidade, amor, carisma, milagres, liderança, ensino e diversas facetas que expressam a pessoa de Cristo, mas sinceramente pouco ouço falar da marginalidade de Jesus.




Parece até conflitante falar de Jesus e associarmos a palavra marginal ao mesmo, mas não há nenhuma conotação ofensiva nisto, pois se bem analisarmos os fatos: Jesus foi um marginal de sua época.




Antes de você me chamar de herege ou me xingar, acompanhe o raciocínio...




Jesus era um homem simples, de uma profissão simples [até ouso fazer o paralelo com um operário padrão de nossos tempos], morava na Galiléia, considerada uma cidade que não produzia expoentes divinos [João 7:52] e pertencia a um povo subjugado pelo Império Romano, sendo que sua nação estava bem distante do pulsante coração econômico da época.




Creio que esses fatores, por si mesmos, já colocariam Jesus à margem do mundo de sua época, mas o mesmo foi além e também se colocou à margem da religião de sua época...Parece até mesmo um contra-senso mas o filho de Deus era marginalizado pela religião.




Prova mais do que cabal de que religião e Deus realmente não devem se misturar, eu sei, é um paradoxo daqueles difíceis de serem digeridos por nossas mentes muitas vezes totalmente formatadas pela tradição religiosa.




Mas voltemos à marginalidade de Jesus...me salta aos olhos o seguinte trecho do evangelho de Lucas:





“Muitas vezes vinham cobradores de impostos (gente desonesta) e outras pessoas de má fama para ouvir os sermões de Jesus; com isso começaram diversas queixas dos líderes religiosos e dos estudiosos da lei judaica, porque Ele estava fazendo amizade com aquela gente baixa – e até comendo com eles.”
Lc 15: 1-2 [Biblia Viva]





Aos olhos dos religiosos da época era inadmissível a relação de Jesus com a “ralé” da sociedade, ter amizade e comer com pessoas desonestas, baixas e de má fama era algo surreal para as mentes farisaícas e legalistas de plantão.




Há outros trechos na bíblia que falam que o mesmo foi chamado de glutão, beberrão, amigo de pecadores [Lucas 7:34], enfim, meu querido Jesus não era portador de boa fama, escolheu frequentar a margem da sociedade, escolheu o caminho longe do academicismo, longe do clericalismo, longe dos holofotes, longe das classes abastadas na maior parte do tempo.




É tão interessante mas o filho de Deus, o Messias prometido, não veio travestido de vestes religiosas, comportamento tradicional ou amizades seletas. Algo que nossa mente engessada pela religiosidade muitas vezes não consegue vislumbrar, mas que é plenamente explicada pelas palavras de Paulo quando o mesmo diz aos coríntios que Deus escolheu as coisas loucas desse mundo para confundir as sábias, Deus escolheu as coisas fracas desse mundo para confundir as fortes e Deus escolheu as coisas vis, desprezíveis e as que NÃO SÃO para confundir aquelas que são...quer algo mais marginal do que essa passagem das escrituras? [1 Coríntios 1:27-28]




Ao pensar em tudo isso e olhar para a igreja, me pergunto: que caminhos temos trilhado? Onde está a marginalidade do povo que se auto-intitula como de Deus?




O mais comum é ouvir sermões que mais parecem discursos de auto-ajuda e que prezam pela formatação com o sistema de valores reinante, no qual o TER vem sempre antes do SER.





O mínimo que consigo concluir após tudo isso é: revisemos a rota, os rumos...busquemos a margem! Não nos importemos com nossas posições, qualificações e até mesmo convicções pessoais, mas busquemos aquilo que o Mestre buscava: os pequeninos, os esquecidos e marginalizados para que também possamos ouvir Dele naquele dia: tive fome e me deste de comer, estava preso e foste ver-me, estava nu e me vestiste, estive com sede e me deste de beber [Mateus 25:35-36].

Frisando que nem sempre a sede será de água, a fome de pão, a nudez de roupas e a prisão de algemas...eis um desafio!"



Pensando nisso, me lembro de um vídeo que vi uma vez. Veja e pense se nós, cristãos, temos sido assim.


video




Beijo santo!


#GodblessUall

sábado, 23 de outubro de 2010

Repassado..

Oi gente. Estou a algum tempo querendo disponibilizar esse texto que vi no blog da Ana. Acho que hoje é um bom dia para isso. Então vai lá. Sejam edificados.



O nevoeiro do coração partido
de Max Lucado




É um nevoeiro escuro que aprisiona furtivamente a alma e se recusa a ir embora. É uma neblina silenciosa que esconde o sol e chama as trevas. É uma nuvem pesada que não honra qualquer hora nem respeita quem quer que seja. Depressão, desânimo, desapontamento, dúvida… todos são companheiros desta presença temida.
O nevoeiro do coração partido desorienta a nossa vida. Ele torna difícil ver o caminho. Abaixe as suas luzes. Limpe o pára-brisa. Ande mais devagar. Faça o que quiser, nada ajuda. Quando este nevoeiro nos rodeia, nossa visão fica bloqueada e o amanhã está para sempre distante. Quando esta escuridão ondulada nos envolve, as palavras mais sinceras de ajuda e esperança não passam de frases vazias.

Se você já foi traído por um amigo, sabe o que estou dizendo. Se já foi abandonado por um cônjuge ou um pai, já viu esse nevoeiro. Se já colocou uma pá de terra sobre o caixão de um ente querido ou ficou vigiando junto ao leito de alguém que ama, você reconhece também esta nuvem.
Se já esteve neste nevoeiro, ou está nele agora, pode estar certo de uma coisa — não se encontra sozinho. Até o mais esperto dos capitães da marinha já perdeu o rumo ao aparecer essa nuvem indesejada. Como disse certo comediante: “Se os corações partidos fossem anúncios, todos apareceríamos na televisão.”

Faça um retrospecto dos últimos dois ou três meses. Quantos corações partidos encontrou? Quantos espíritos feridos teve ocasião de observar? Quantas histórias de tragédias chegou a ler?
Minha própria reflexão é cautelosa:
- A mulher que perdeu o marido e o filho num terrível acidente automobilístico.
- A atraente mãe de três crianças que foi abandonada pelo cônjuge.
- O garoto atropelado e morto por um caminhão de lixo, quando saía do ônibus da escola. A mãe, que o esperava, testemunhou a tragédia.
- Os pais que encontraram o filho adolescente morto na floresta atrás de sua casa. Ele se enforcara com o próprio cinto numa árvore.


A lista continua indefinidamente. Tragédias nebulosas. Como cegam nossa visão e destroem os nossos sonhos. Esqueça todas as grandes esperanças de alcançar o mundo. Esqueça todos os planos de mudar a sociedade. Esqueça todas as aspirações de mover montanhas. Esqueça tudo isso. S6 me ajude a atravessar a noite.

O sofrimento do coração partido.

Venha comigo assistir aquela que foi talvez a noite mais enevoada da história. A cena é muito simples, você vai reconhecê-la rapidamente. Um bosque de oliveiras retorcidas. O chão coberto de pedras grandes. Um muro baixo de pedras. Uma noite escura, muito escura.
Veja agora o quadro. Olhe atentamente através da folhagem sombria. Vê aquela pessoa?
Vê aquela figura solitária? O que ele está fazendo? Deitado no chão. O rosto manchado de terra e lágrimas. Os punhos batendo no solo. Os olhos arregalados com o estupor do medo. O cabelo emaranhado por causa do suor salgado. Será aquilo sangue em sua testa?
Esse é Jesus. Jesus no Jardim do Getsêmani.
Você talvez tenha visto o retrato clássico de Cristo no jardim. Ajoelhado junto a uma grande rocha. Um alvo manto. Mãos pacificamente unidas em oração. Um olhar sereno em seu rosto. Um halo sobre a sua cabeça. Um raio de luz do céu, iluminando seu cabelo castanho dourado.
Eu não sou artista, mas posso dizer-lhe algo. O homem que pintou esse quadro não usou o evangelho de Marcos como modelo. Veja o que Marcos escreveu sobre aquela noite penosa:
“Então, foram a um lugar chamado Getsêmani; ali chegados, disse Jesus a seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto eu vou orar. E, levando consigo a Pedro, Tiago e João, começou a sentir-se tomado de pavor e de angústia. E lhes disse: A minha alma está profundamente triste até à morte; ficai aqui e vigiai.
E, adiantando-se um pouco, prostrou-se em terra; e orava para que, se possível, lhe fosse poupada aquela hora. E dizia: Aba, Pai, tudo te é possível; passa de mim este cálice; contudo, não seja o que eu quero, e sim o que tu queres.
Voltando, achou-os dormindo; e disse a Pedro: Simão, tu dormes? Não pudeste vigiar nem uma hora? Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.

Retirando-se de novo, orou repetindo as mesmas palavras. Voltando, achou-os outra vez dormindo, porque os seus olhos estavam pesados; e não sabiam o que lhe responder.
E veio pela terceira vez e disse-lhes: Ainda dormis e repousais! Basta! Chegou a hora; o Filho do Homem está sendo entregue nas mãos dos pecadores. Levantai-vos, vamos! Eis que o traidor se aproxima.”[1]

Observe estas frases: “Começou a sentir-se tomado de pavor e de angústia.” “Minha alma está profundamente triste.” “E, adiantando-se um pouco,prostrou-se em terra.”
Este parece um quadro de um Jesus santo, repousando na palma de Deus? De modo algum. Marcos usou tinta preta para descrever esta cena. Vemos um Jesus agonizante, lutando e se esforçando. Vemos um “homem de dores”.[2] Vemos um homem enfrentando o medo, em luta com os compromissos e ansiando por alívio.

Vemos Jesus no nevoeiro de um coração partido.
O escritor de Hebreus iria dizer mais tarde, “Ele, Jesus, nos dias da sua carne, tendo oferecido, com forte clamor e lágrimas, orações e súplicas a quem o podia livrar da morte”.[3]
Que descrição! Jesus sofrendo. Jesus às portas do medo. Jesus não está revestido de santidade, mas de humanidade.

Da próxima vez que o nevoeiro o envolver, você faria bem em lembrar-se de Jesus no jardim. Da próxima vez em que pensar que ninguém compreende, releia o capítulo 14 de Marcos. Da próxima vez que a autopiedade o convencer de que ninguém se importa, vá visitar o Getsêmani. E da próxima vez em que ficar imaginando se Deus realmente percebe a dor que prevalece neste poeirento planeta, ouça-o suplicando entre as árvores retorcidas.
Este é o meu ponto. Ver Deus desse modo faz maravilhas em relação ao nosso próprio sofrimento. Deus jamais foi tão humano quanto nessa hora. Deus jamais esteve mais próximo de nós do que quando sofreu. A Encarnação jamais foi tão cumprida quanto no jardim.

Como resultado, o tempo passado no nevoeiro da dor poderia ser o maior dom de Deus. Poderia ser a hora em que finalmente vemos nosso Criador. E verdade que no sofrimento Deus se assemelha mais ao homem; talvez em nosso sofrimento possamos ver a Deus como nunca antes.
Da próxima vez em que você for chamado para sofrer, observe. Talvez esse seja o ponto mais próximo em que vai estar de Deus. Preste muita atenção. Pode muito bem ser que a mão que se estende para guiá-lo para fora do nevoeiro esteja traspassada.

[1] Marcos 14:32-42
[2] Isaias 53:3
[3] Hebreus 5:7




Beijo santo!


#GodblessUall